terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Resenha: Amor Fora de Hora (Rêê)

Amor Fora de Hora - Katarina Mazetti
Editora: Lua de Papel
Páginas: 176

Sinopse: UM LUGAR IMPOSSÍVEL PARA O ENCONTRO PERFEITO. Uma jovem mulher, amante dos livros, e um rapaz do interior se esbarram repetidamente no cemitério. Um local completamente inusitado para um encontro. Certo dia, um sorriso nasce nos lábios dos dois e eles ficam deslumbrados um pelo outro. É o início de uma paixão irrefreável. Com um romantismo agitado e um humor revelador, este livro combina o choque de culturas com uma história de amor terno e desenfreado.

Um livro bom, um pouco fantasioso, mas muito bonito. Quem espera que vá encontrar o amor de sua vida em um cemitério, indo visitar o túmulo de seu marido (ou seria ex-marido?) ou de seus pais?

O interessante é que a autora faz um jogo muito bom, onde Desirée, a personagem, fala, conta algo, ao seu ponto de vista em um capítulo e Benny, o personagem, conta no próximo capítulo a mesma história, mas com o seu ponto de vista, onde podemos ver porque cada um estava agindo daquela maneira e o que a outra pessoa pensou ou entendeu sobre determinada atitude.

Apenas não espere muito do fim do livro. É bom, mas eu esperava mais, principalmente porque sou muito romantiquinha (isso existe? O.o), queria que tivessem mais capítulos para contar o que aconteceu depois... Mas não vou contar o fim do livro.. Só que é muito bom *-* .

sábado, 7 de dezembro de 2013

Filme: A Menina que Roubava Livros (Lançamento em 2014)

Hoje venho aqui não para resenhar um livro, mas sim para trazer uma novidade (que eu acho que a maioria dos leitores já sabe): o lançamento do filme A Menina que Roubava Livros.

O filme vai ser baseado na história criada por Markus Zusak, que foi lançado pela Editora Intrínseca.

Sinopse: A trajetória de Liesel Meminger é contada por uma narradora mórbida, surpreendentemente simpática. Ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. Traços de uma sobrevivente: a mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler.

Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade.

A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História. A Morte, perplexa diante da violência humana, dá um tom leve e divertido à narrativa deste duro confronto entre a infância perdida e a crueldade do mundo adulto, um sucesso absoluto - e raro - de crítica e público.

O filme será estrelado por Sophie Nélisse interpretando Liesel Meminger. Geoffrey Rush e Emily Watson serão os intérpretes dos pais de Liesel.
Emily Watson, Sophie Nélisse e Geoffrey Rush

O elenco ainda conta com : Ben Schnetzer, Nico Liersch, Joachim Paul Assböck, Kristen Block e Sandra Nedeleff.

A direção fica por conta de Brian Percival, conhecido pela sério Downton Abbey. A produção do filme é de Karen Rosenfelt (que já produziu filmes da saga crepúsculo e o 1º Percy Jackson) e Ken Blancato. E o roteiro ficou nas mãos de Michael Petroni (As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada


Já foi liberado um trailer legendado: 


Sinopse do filme: Durante a Segunda Guerra Mundial, uma jovem garota chamada Liesel Meminger sobrevive fora de Munique através dos livros que ela rouba. Ajudada por seu pai adotivo, ela aprende a ler e partilhar livros com seus vizinhos, incluindo um homem judeu que vive na clandestinidade.
O filme será lançado no dia 31 de janeiro de 2014.

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Resenha: Inferno (Rêê)

Inferno - Dan Brown
Editora: Arqueiro
Páginas: 448

Sinopse: Neste fascinante thriller, Dan Brown retoma a mistura magistral de história, arte, códigos e símbolos que o consagrou em "O Código Da Vinci", "Anjos e Demônios" e "O Símbolo Perdido" e faz de Inferno sua aposta mais alta até o momento. No coração da Itália, Robert Langdon, o professor de Simbologia de Harvard, é arrastado para um mundo angustiante centrado numa das obras literárias mais duradouras e misteriosas da história: O Inferno, de Dante Alighieri. Numa corrida contra o tempo, ele luta contra um adversário assustador e enfrenta um enigma engenhoso que o leva para uma clássica paisagem de arte, passagens secretas e ciência futurística. Tendo como pano de fundo poema de Dante, e mergulha numa caçada frenética para encontrar respostas e decidir em quem confiar, antes que o mundo que conhecemos seja destruído.

Aah, o que dizer desse livro? Pow, é Dan Brown né? É Robert Langdon... Não preciso dizer mais nada...

Então, mais uma história surpreendente do simbologista Robert Langdon, começando em um hospital, você logo se pergunta o que está acontecendo e quem quer matar Langdon... Pois é, e no hospital, Sienna entra em cena... Quem é essa moça? O que ela realmente quer? Porque ela o ajuda? Uma história, um livro cheio de perguntas, que te prende do início ao fim.

Faz-te pensar sobre questões do mundo, como a superpopulação ou sobre como uma mentira bem elaborada pode enganar muita gente e mudar o rumo de certos fatos. Envolvendo a OMS e um certo “Consórcio”, um cientista e um simbologista. Tenho medo de escrever muito, e acabar com a graça do livro (se não tá afim de saber um pouco da história, pule para o próximo parágrafo), mas Robert acorda em um hospital, com um tiro na cabeça e sem se lembrar de nada e, de repente, descobre que tem alguém tentando matá-lo e que mata um médico em sua frente. Então, surge a inteligente Sienna Brooks que resolve ajudá-lo. Langdon descobre que seu caro paletó, tem um bolso secreto, com um objeto cilíndrico e resolve abrir o cilindro, dentro deste, encontra um cilindro ósseo medieval dotado de um projetor laser que projeta uma versão levemente modificada do Mapa do Inferno de Sandro Botticelli. Então, ele e Sienna partem em busca de respostas e de uma suposta peste que geneticista bilionário  Bertrand Zobrist criou e que não se sabe suas proporções ou seus riscos.


Bom, não tem mais muito que falar, não preciso contar a história pois tem a sinopse pra isso siuusiha. Ele é maravilhoso, surpreendente, fantástico. Nunca imaginei um desenrolar da trama tão maravilhoso... O melhor de todos os livros do autor (na minha humilde opinião e não li anjos e demônios) e, quem sabe até, o melhor livro que eu já li. 

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Resenha: Anna e o Beijo Frânces (Rêê)

Anna e o Beijo Francês - Stephanie Perkins
Editora: Novo Conceito
Páginas: 288

Sinopse: Anna Oliphant tem grandes planos para seu último ano em Atlanta: sair com sua melhor amiga, Bridgette, e flertar com seus colegas no Midtown Royal 14 multiplex. Então ela não fica muito feliz quando o pai a envia para um internato em Paris. No entanto, as coisas começam a melhorar quando ela conhece Étienne St. Clair, um lindo garoto -que tem namorada.Ele e Anna a se tornam amigos mais próximos e as coisas ficam infinitamente mais complicadas. Anna vai conseguir um beijo francês? Ou algumas coisas não estão destinadas a acontecer?


Ah, que livro maravilhoso.. Ele te faz viajar para a França, para a bela Paris... Me fez sonhar e me encantar...

Anna Oliphant, uma adolescente de Atlanta, onde tem um bom emprego, uma melhor amiga fiel e um quase namoro...  Porém, seu pai, um escritor fútil, mas famoso, resolve enviá-la para um colégio interno na linda Paris, o qual não deixa Anna nada feliz..  Mas em Paris Anna faz novos amigos e conhece Étienne St. Clair, um guri, lindo, fofo, meigo, enfim, TDB.. Mas, ele tem namorada, além de que, sua amiga Meredith é apaixonada por ele.. Enfim, os dois se tornam melhores amigos e, como todos os amigos, brigam muito.. St. Clair (como gosta de ser chamado, exceto por Anna) tem um sério problema com a família. Seu pai é um político de influência, mas cruel com sua família ( e seu filho o odeia) e sua mãe passa por um grave problema de câncer... E por isso, St. Clair não deixa a sua namorada, por medo de ficar sozinho.. Enfim, se eu escrever muito, daqui a pouco to contando o final do livro ‘-‘.. Então, com tantas idas e vindas nessa amizade, será que Anna ganhara seu beijo francês? E o seu quase namoro em Atlanta? Como fica?

Caracá, esse eh um livro muiiiito bom... Nunca li um livro tão rápido :O siahsiaus

Sério, me apaixonei, pelo livro e por St. Clair *---* siuahsuai.. O único problema, eh que eu acabo sonhando de mais com isso... To loca pra conhecer Paris agora... suiahsuia .-. – até parece neeeh ..


Só acho que poderia ter mais um capítulo no fim... Falando sobre, seilá, questões que ficaram em aberto, pelo menos na minha mente ‘-‘ suiashauis.. 

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Resenha: Wake - Despertar

Wake - Despertar - Lisa McMann
Editora: Novo Século
Páginas: 208

Sinopse: Para Janie, uma garota de 17 anos, ser sugada para dentro dos sonhos de outras pessoas está se tornando normal. Janie não pode contar a ninguém sobre o que acontece com ela - eles nunca acreditariam, ou pior, achariam que é uma aberração. Então, ela vive no limite, amaldiçoada com uma habilidade que não quer e não pode controlar. Mas, de repente, Janie acaba presa dentro de um pesadelo horrível, que lhe causa um imenso terror. Pela primeira vez, ela deixa de ser expectadora e se torna uma participante... "Um romance lírico, cujas imagens permanecem com você, muito tempo depois de virada a última página, como o mais memorável dos sonhos." Cassandra Clare 

Wake conta a história de uma moça chamada Janie, que na verdade é uma apanhadora de sonhos, mas acredita que isto seja uma maldição que terá que carregar para o resto da vida. A história toda tem como foco esta personagem principal, que sofre muito por ser tão diferente das outras pessoas. Se sente estranha, pois quando uma pessoa que está perto dela dorme e sonha, ela imediatamente é sugada para dentro deste sonho, sem ter como sair. A sinopse deixa bem claro isso.

A leitura do livro foi muito rápida e fácil, pois o livro não nos traz palavras desconhecidas e tem um bom ritmo de leitura. Achei interessante o modo como a autora expôs os sub-capítulos (esta palavra existe mesmo?), sempre mostrando que dia era e qual o horário que aquilo estava acontecendo. Sem querer, isto acaba ajudando muito a entender o desenrolar da história.

Janie na verdade tem somente uma amiga e que pode confiar, que se chama Carrie; mas acontece que ultimamente Carrie têm deixado Janie mais de lado, pois começou a namorar com Stu, um mecânico, e sendo assim, acaba passando menos tempo ainda com Janie.

A personagem principal tem uma família bem conturbada, se aquilo pode-se chamar de família: ela não conhece seu pai e sua mãe é uma alcoólatra, que só sabe beber e dormir. A mãe dela nunca lhe dirige a palavra, nem para dizer um simples "Oi". Achei isto meio que sombrio. Não consigo imaginar minha mãe passando o dia todo trancada dentro de um quarto ou na sala bebendo até desmaiar. 

Ela pretende cursar faculdade, não importando qual, e por isso começa a trabalhar em um asilo, cuidando dos idosos. Dá pra perceber no livro que ela se sente melhor no asilo do que na sua própria casa. Lá ela conhece a senhora Sturbin, que sem querer, vai dar uma baita ajuda para a Janie. Neste primeiro volume da série, ela começa a entender um pouco melhor sobre seu dom, e acaba tendo que aceita-lo, de uma forma ou outra.

Uma parte que achei bem fofa, foi quando ela começa a conversar com Cabel, um garoto da sua escola que parece  ser drogado, mas que depois de um tempo, demonstra não ser aquilo que aparenta ser.

Para mim a leitura foi boa, bem rápida até. Mas o livro em si foi mediano. Li, entendi a história e até gostei, mas não é aquele livro que me deixou com um gostinho de quero mais. Li sobre pessoas que choraram lendo o livro. Mesmo eu sendo tão sentimentalista, não me senti ao ponto de chorar em nenhum momento do livro. Pode ser que eu esteja ficando menos insensível, mas na verdade acho que não, acho que foi o livro que não me conquistou muito.

Bom, digo para vocês: é uma boa leitura para um domingo tedioso, ou quando não se tem nada mais para fazer.

Minha nota: 3/5

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Resenha: O Herói Perdido

O Herói Perdido - Rick Riordan
Editora: Intrínseca
Páginas: 432


Sinopse: Novos e conhecidos personagens do Acampamento Meio-Sangue dividem espaço nesse primeiro volume da série Os heróis do Olimpo. Rick Riordan volta ao universo de Percy Jackson e os Olimpianos com ainda mais aventuras, humor e mistério.

Depois de salvar o Olimpo do maligno titã Cronos, Percy Jackson e seus amigos trabalharam duro para reconstruir seu mais querido refúgio, o Acampamento Meio-Sangue. É lá que a próxima geração de semideuses terá de se preparar para enfrentar uma nova e aterrorizante profecia.

Os campistas seguirão firmes na inevitável jornada, mas, para sobreviver, precisarão contar com a ajuda de alguns heróis, digamos, um pouco mais experientes - semideuses dos quais todos já ouvimos falar... e muito.


       O Herói Perdido é o primeiro livro de uma nova saga de Rick Riordan, o mesmo autor de Percy Jackson e os Olimpianos, pra quem não sabe. O livro trata da mesma coisa dos outros livros do autor, a mitologia grega, só que dessa vez, adentrando também na mitologia romana, com seus deuses, monstros, etc. A história se passa em vários locais variados, locais conhecidos nos Estados Unidos.

Rick muda seu tipo de narração, dessa vez fazendo com que existam mais de um narrador, mudando entre Jason, Piper e Leo, os três novos personagens desse livro. Para quem leu toda a outra série do autor, pode se sentir confuso com a nova narrativa, mas em pouco tempo já se acostuma.

Este foi um dos livros que me chamou a atenção não só pelo autor, mas sim pela sua capa.  Livros que tem dragões me fascinam.

Em certos momentos me senti obrigado a ler até o fim do capítulo, e chegando no fim deste, me obrigava ao ler o outro. Simplesmente o livro é demais. Muito bom mesmo. Ele tem aqueles momentos em que você fica de boca aberta, pois não imaginava que tal coisa iria acontecer.

Além da história ser boa, o livro nos ensina muitas histórias da mitologia grega e romana, sobre deuses, semideuses e mortais, coisas que mesmo no colégio, passariam "batidas".

O livro não tem nenhuma cena mais "hot", pois ele é mais indicado para os adolescentes, mas não faz mal nenhum em adultos lerem ele também, pois será mais conhecimento adquirido, enfim, recomendo para todos, um ótimo livro, do começo ao fim.

Minha nota: 4/5

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Resenha: Gregor, O Guerreiro da Superfície

Gregor, O Guerreiro da Superfície - Suzanne Collins
Editora: Galera Record
Páginas: 304

Sinopse: Gregor tem 11 anos e uma vida complicada: tem duas irmãs mais novas, uma avó que vive em um mundo à parte. sua mãe trabalha em dois empregos diferentes e o pai desapareceu há mais de dois anos. Mas tudo se complica ainda mais quando ele cai atráves de um duto de ventilação na lavanderia do prédio onde mora e encontra um incrível universo desconhecido sob a cidade de Nova York. Agora, apesar de seus protestos, o menino precisa liderar um estranho grupo de humanos e animais gigantes em uma missão que pode salvar o Subterrâneo - além de ser a única saída para encontrar seu pai.


Depois que acabei de ler o livro foi que eu descobri que a autora da série Gregor, é também a autora do Jogos Vorazes. Fiquei apavorado, pois não achei nada parecido entre os dois livros.


O livro conta a história de Gregor e sua pequena irmã Boots, que acidentalmente caem em buraco na lavanderia do prédio onde mora. Única coisa que posso dizer, é que a vida de Gregor muda totalmente, pois ele descobre que há um mundo inteiro embaixo de nossos pés.

É difícil escrever uma resenha sem contar a história do livro, e vou tentar fazer isso, pois sei como é chato ler uma resenha e acabar descobrindo como acaba o livro.

Suzanne conseguiu escrever mais uma história que mexeu no meu psicológico, exatamente como Jogos Vorazes fez. Duvido que aqueles de coração mais mole vão aguentar tudo que via acontecer no livro, principalmente porquê nessa história toda está envolvida uma criança, que não entende de nada da vida, mas que espera poder voltar para casa o mais rápido possível.

Houve momentos em que eu tive que parar de ler o livro, pois não aguentaria o que viria adiante (sim, eu sou uma pessoa muito fraca para histórias que envolvam crianças). É fora do comum todos os detalhes que a autora nos passa sobre o Subterrâneo, pois ela pensou exatamente em tudo, desde o que eles comem até o que eles sentem mais falta (como a luz). Dificilmente você ficará com uma dúvida em relação aos habitantes do Subterrâneo.

Primeiramente eu não sabia que esse livro era o começo de uma série. Pensei que ele fosse um livro "sozinho", sem continuação, mas ao ler as últimas páginas, me deu uma emoção descobrir que Gregor voltara aquele lugar.

Certamente vou ler o resto da série, pois foi um livro que gostei bastante, tirando as partes em que fiquei agoniado por causa de Boots. Recomendo esse livro para todas as pessoas, pois é um livro de leitura fácil e rápida. Resumindo tudo isso, para quem já leu Jogos Vorazes, digo que a Suzanne acertou mais uma vez.

Minha nota: 5/5